Carta para Você

TheEnd-01

Eu sinto tanto pela gente. Sinto pelos dias que não passamos juntos e que jamais iremos passar. Sinto pelos episódios do meu seriado favorito que jamais irei compartilhar com você, junto a um brigadeiro de panela, um cobertor com o sofá na sala e o ar condicionado ligado no último, em um dia de domingo quente.

Eu sinto muito. Sinto por você não ter descoberto como seria feliz comigo. Como se sentiria amado diante dos meus beijos calorosos, dos meus abraços de ternura, dos meus afagos em dias que você chegaria cansado do trabalho.

Eu sinto por você não descobrir mais sobre a minha pessoa. Sobre como eu observo o mundo, como eu o observo. Sobre como eu poderia ser seu ombro amigo, sua amante mais querida, sua companheira para todas as horas que você passa solitário nesse mundo.

Eu sinto por você não descobrir mais da vida comigo. Por você não conhecer mais do mundo em meu carro viajante. Sinto por você não descobrir como sua risada pode ser gostosa quando eu faço uma de minhas trapalhadas – você obteve um pequeno exemplo disso quando eu bati com força minha cabeça na cabeceira de sua cama, confie em mim, sou capaz de muito mais.

Sinto por você jamais descobrir o homem que você seria ao meu lado. Como eu te apoiaria em todos seus planos, mesmo aquele na qual você confessou não ter vontade de crescer. Eu estaria ao seu lado em qualquer de suas decisões.

Sinto muito que aquele jantar para você comer aquela pizza não tenha saído das mensagens virtuais. Sinto até por você nunca ter experimentado aquela pizza, ela realmente é excelente. Eu sinto por a gente não ter ido mais vezes tomar sorvete, como aquela noite gostosa de brisa morna, sentados do lado de fora conversando sobre como fazia tempo que não nos víamos.

Desculpe por você nunca descobrir minha lista de melhores filmes, eles realmente são fantásticos. Sinto muito que você jamais irá me escutar ao telefone contando a história do livro que estou lendo no momento, sou melhor que narrador de áudio livro. Você conheceria enredos maravilhosos e viajaria por lugares nunca antes vistos. Eu compartilharia as melhores histórias e perderíamos horas no antigo modo de conquista, a conversa – e por telefone.

Eu sinto por você jamais ter dado a chance de me entender. Sinto muito por você não ter esperado o suficiente para que eu saísse detrás do meu muro de Berlim. Sinto por você jamais descobrir que por trás dessa pessoa misteriosa e quieta existe uma menina que fica horas e horas sem parar de falar sobre algo que realmente a empolga. Eu sinto por você não saber lidar comigo e mais ainda, sinto muito que você não tenha tido paciência para descobrir como, na verdade, sou fácil de lidar.

Eu sinto por você nunca descobrir o quanto eu fui apaixonada por você. O quanto passei os últimos 365 dias pensando em você. O quanto as últimas páginas de meu diário foram só sobre análises de nossos poucos e míticos encontros.

Sinto por você não descobrir a paz de um amor calmo comigo. Sinto por você não descobrir como é eu te chamar às 22h de uma quinta-feira qualquer para não fazer nada comigo.

Sinto por você jamais descobrir como é meu abraço quando alguma coisa ruim te acomete. Sinto muito por você não ter me dado brecha para colocar sua cabeça no meu colo e meu silêncio te aconchegar quando você mais precisou. Desculpe por você jamais entender como minha quietude pode ser a paz que você tanto procura.

Eu sinto muito por a gente não ter dado certo.

*Texto publicado no blog Deu Ruim, link aqui.

Anúncios

2 comentários sobre “Carta para Você

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s