Séries: Stranger Things

Uma mistura entre o cinema de Steven Spielberg e os livros de Stephen King com uma pitada de Neil Gaiman não teria como sair mais perfeito. É exatamente o brilhantismo cheio de referências que fez Stranger Things, seriado lançado dia 15 de julho pela Netflix, me fazer ficar oito horas seguidas olhando para a televisão.

Criada pelos iniciantes irmãos Duffer, a série de apenas oito episódios começa sua história com o desaparecimento de Will (Noah Schnapp) depois de uma rodada de RPG com os amigos. A pequena cidade do interior de Indiana –EUA, se reune para encontrar o filho de Joyce, vivida pela espetacular Winona Ryder. A frente da investigação está o xerife Hopper (David Harbour) que havia até aquele momento registrado apenas problemas com uma coruja dentro de uma casa nos anos que trabalha para a segurança da cidade.

poltrona-strange-things-netflix-2

Fora dos holofotes da investigação, os amigos de Will, três crianças fascinadas pela cultura nerd, também correm atrás de onde o quarto elemento do grupo poderia estar e acabam esbarrando com uma menina cuja esquisitice se eleva ao ponto de mover objetos com a mente.

A trama fica ainda mais recheada quando elementos secretos do governo dos EUA adentram a história, com possíveis pesquisas misteriosas que acontecem bem na frente da pacada cidade foco do desaparecimento de uma criança.

103009rjpg-6aae7c_765w

Telecinese, espionagem, pesquisas cientificas secretas, cultura nerd e mistério são elevados a excelentíssimo pela época em que se passa toda essa história – anos 80. Os Estados Unidos estão vivendo o auge da Guerra Fria contra a URSS, a lealdade e a amizade como base da época e a cultura nerd lançando o que hoje são considerados clássicos como ET: O Extraterrestre.

Tudo isso não passaria de uma tentativa frustada de levar as pessoas a nostalgia se não fosse pelo carisma dos personagens e dos excelentes atores que compõe a nova produção da Netflix. Mesmo com a estrela dos anos 80, Winona Ryder, de volta as telas, é nas crianças e adolescentes que se deve voltar os olhos. O carisma, lealdade, amizade e sincronicidade que os atores demonstram já no primeiro episódio faz com que nós telespectadores vibremos com os heróis nerds imaturos de Stranger Things.

É a mistura de uma ótima história, criativa e nostálgica ao mesmo tempo, que Stranger Things mostra ser ainda possível criar algo novo e empolgante, sem medo de retomar o antigo como base.

Anúncios

2 comentários sobre “Séries: Stranger Things

  1. Adorei sua resenha! Tô vendo a galera falar super bem desse seriado, deu vontade de assistir (mas não tenho Netflix pq a programação daqui é muuuuito ruim). 😦

    1. É bem clima de suspense, mistério e terror, então se prepara para umas cenas que dá medinho, mas super indico. Sobre o Netflix, aqui no Brasil começou muito ruim também, mas agora a programação é excelente!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s